sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Meu livro - Academia Elemental. Convido todos a embarcarem nessa aventura!!

Olá gente!
Meu nome é Janine Rocha, tenho 13 anos, tenho uma grande paixão por livros e quero apresentar minha primeira obra, Academia Elemental, que conta a história de uma garota chamada Isabela, que tem poderes ligados aos quatro elementos: terra, ar, água e fogo. Criada por pais adotivos que não eram as melhores pessoas do mundo, ela só foi descobrir verdadeiramente seus dons aos 13 anos. Isabela reencontra os verdadeiros pais e o irmão, e vai para a Academia Elemental - um centro de treinamento para pessoas que são capazes de manipular magia, em que os alunos são selecionados por personalidade. Fogo, para os mais intempestivos e explosivos, Gelo, para os mais frios e com autodomínio, Ar para os calmos e tranquilos e Terra, a Academia sombria, renegada pelos magos, fechada pela Guerra Ceifadora de Vidas, que abrigava alunos bipolares, com personalidades temidas por todos os magos.
Ela luta para tentar se encaixar, a adaptar sua personalidade à Elemental imposta pela Seleção e descobrir quem é Henry Luke Collen, que a envolve cada vez mais com o seu diário e a biblioteca escondida. Confusões, amores, mistérios e segredos sombrios passam a fazer parte da vida da menina, que depois da magia, nunca será mais a mesma.
O livro está disponível no site da PerSe, para download em ebook por apenas R$ 8,00! Não perca tempo e venha se apaixonar com Isabela nessa aventura!

http://www.perse.com.br/novoprojetoperse/WF2_BookDetails.aspx?filesFolder=N1513711637986



sábado, 16 de dezembro de 2017

O que Você Precisa Saber Sobre o Cálcio

O cálcio é mineral indispensável para a saúde. Entre outras funções importantes, é fundamental para a construção e manutenção dos ossos e dos dentes.

Funções do Cálcio

O cálcio no organismo está distribuído entre os ossos, dentes e sangue, é está envolvido no metabolismo de praticamente todas as células do corpo, como no mecanismo de contração muscular dos membros ou do coração, na transmissão de impulsos nervosos entre o cérebro e o resto do corpo, e até no importantíssimo equilíbrio do pH do sangue.
O cálcio no organismo participa da força óssea, estrutura de ossos e dentes, impulsos nervosos, contrações musculares, coagulação do sangue e da permeabilidade celular.

Absorção do Cálcio

Para que o cálcio seja absorvido de forma eficiente é importante que seja ingerido sem alimentos que contenham cafeína ou ferro, pois estes nutrientes impedem a fixação do cálcio nos ossos. Os fitatos e oxalatos presente em muitos vegetais como o feijão ou o espinafre também impedem a absorção do cálcio: daí a importância em ingerir alimentos ricos em cálcio da forma mais variada possível.
O que Você Precisa Saber Sobre o Cálcio
Outro fator essencial para a absorção do cálcio é a presença da Vitamina D, que estimula o intestino a absorver o cálcio ingerido. Além da vitamina D, outro mineral essencial para ajudar na absorção do cálcio é o magnésio.
Além da alimentação, a atividade física, especialmente aquelas que envolvem impacto como corridasou caminhadas aumentam também  indiretamente a eficácia da absorção do cálcio e estimulam o acumulo da massa óssea.

Sintomas da Falta de Cálcio

Os sintomas de falta de cálcio no organismo, mais evidentes a longo prazo, se refletem principalmente na fraqueza dos ossos, que dão origem à osteoporose pois o cálcio é um mineral importante na formação dos dentes e dos ossos. Além disso, a falta de cálcio provoca também:
  • Dor na coluna
  • Depressão
  • Irritabilidade
  • Nervosismo
  • Ansiedade
  • Cólicas menstruais
  • Unhas fracas e pálidas
  • Periodontite e cáries
  • Artrite
Estes sintomas podem ocorrer com a falta de cálcio moderada e, por isso, é recomendável aumentar o consumo de alimentos ricos em cálcio. Porém, pode ser necessário fazer uma suplementação em cálcio e, por isso, é importante consultar o médico ou nutricionista. Saiba mais sobre suplementação de cálcio.
Para diagnosticar a falta de cálcio no corpo, pode-se fazer um simples exame de sangue, mas para saber se os ossos estão fracos, é necessária a realização de um exame mais sofisticado, chamado densitometria óssea.

Alimentos que “roubam” Cálcio

Devemos garantir que nosso organismo absorva todo o cálcio possível. Alguns alimentos diminuem a capacidade do organismo de absorver cálcio. A solução, entretanto, não é baní-los da dieta e sim comê-los em moderação, sempre diversificando a alimentação. É importante conhecer esses alimentos e saber como consumi-los com segurança para os ossos. Mesmo para quem tem osteoporose, esses alimentos somente são prejudiciais se consumidos em excesso.
Sal: o sódio aumenta a excreção de cálcio pela urina. Quem tem osteopenia ou osteoporose deve eliminar o sal de mesa, aquele que acrescentamos à salada e a outros alimentos. Dica: use como tempero o limão, azeite e especiarias.
Café: misturar essa bebida com leite pode não ser tão indicado, dependendo das proporções de café e leite em sua xícara. A cafeína, presente no café, tem efeito diurético, o que faz com que o cálcio seja eliminado pela urina. Mas para chegar a prejudicar a absorção, a quantidade de café ingerida ao dia deve ser superior a 300mg, o que equivale a três xícaras médias da bebida, aproximadamente.
Refrigerante: Essa bebida é rica em fósforo, que inibe a absorção de cálcio pelo corpo. O fósforo aumenta a liberação do paratormônio, hormônio que controla a quantidade de cálcio que temos nas células e nos ossos. Se ele está elevado, acaba mobilizando mais cálcio do osso pra corrente sanguínea, descalcificando os ossos.
Chocolate: Além de ter cafeína, o chocolate conta com o ácido oxálico que aumenta a eliminação de cálcio pelas fezes. A quantidade de cafeína é a mesma, independente da quantidade de cacau. Para comer essa delícia com menos culpa, opte por chocolates com maior teor de cacau, pois, apesar de prejudicar a absorção de cálcio, há, ao menos, maior ação antioxidante. 
Gorduras: Existe um tipo específico de gordura que faz com que o cálcio seja liberado pelas fezes, em vez de ir para os ossos: os ácidos graxos saturados de cadeia longa, encontrados em manteiga e carnes gordurosas. Ao chegar ao intestino, esse tipo de gordura forma uma substância chamada oxalato, que se liga às moléculas de cálcio, formando um complexo insolúvel. Esse complexo acaba sendo excretado nas fezes. 
Excesso de ferro: O ferro em excesso pode fazer com que o cálcio não seja absorvido. Isso acontece por causa de uma disputa entre esses dois minerais. Eles são absorvidos pela mesma ‘porta’ – chamada de glute, que encaminha as substâncias à corrente sanguínea – e competem entre si para serem absorvidos. O cálcio costuma ganhar o páreo, mas perde quando o ferro está em uma quantidade muito maior.
Excesso de proteínas: O organismo gasta muito cálcio para processar a proteína. Por isso, abusar nas fontes de proteínas pode aumentar a eliminação de cálcio pela urina, dificultando a sua absorção.

Alimentos Ricos em Cálcio

O que Você Precisa Saber Sobre o Cálcio
  • Semente de gergelim: 825 mg em 100 g
  • Sardinhas: 550 mg em 100g
  • Brócolis cru: 345 mg em 100g
  • Aveia: 340mg em 100g
  • Amêndoas: 237 mg em 100g
  • Semente de linhaça: 211 mg em 100g
  • Manjericão: 211 mg em 100g
  • Couve: 131 mg em 100g
  • Feijão: 123 mg em 100g
  • Rúcula: 117 mg em 100g
  • Ovo de galinha: 114mg
  • Grão de bico: 114 mg em 100g
  • Tofu: 111mg em 110g
  • Laranja: 35 mg em 100g
A recomendação diária do cálcio para adultos é de 1000 miligramas.

E quanto ao leite e derivados?

Leite, queijo e iogurte também são fontes de cálcio. Porém, ao contrário do que se divulga extensivamente, esse cálcio não é muito bem absorvido pelo organismo: se o seu objetivo é cálcio, é preferível ingerir os vegetais verdes e as sementes (que trazem muitos outros benefícios também). Aliás quem bebe muito leite de vaca tem muito mais chances de ter osteoporose. Para quem tiver mais interesse sobre esse tema controverso, sugiro que leia esse artigo.

Excesso de Cálcio no Organismo

Quantidades excessivas de cálcio no organismo podem ocasionar as conhecidas pedras nos rins: esse tipo de formação é mais comum em decorrência da ingestão de cálcio de origem mineral e também por alguns suplementos alimentares (a ingestão suficiente de água ajuda evitar a formação de pedras nos rins). O consumo excessivo também pode ocasionar a redução de outros minerais, como o magnésio. O excesso de cálcio também pode causar dificuldade de memorização, depressão, irritabilidade e fraqueza muscular.
https://belezaesaude.com

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O que você precisa saber sobre o estrogênio?

O estrogênio é um hormônio feminino produzido a partir da adolescência — período que aparecem os primeiros sinais sexuais secundários na mulher. Sua produção se estende até a menopausa. Ele age sobre as células, anatomia e também sobre o comportamento.
O estrogênio é produzido pelo folículo ovariano em maturação. Esse hormônio é fabricado pelos ovários e liberado na primeira fase do ciclo menstrual. Além de ser responsável pela textura da pele feminina, o hormônio está relacionado ao equilíbrio entre as gorduras no sangue.
No período da gestação, a quantidade de estrógeno aumenta. Isso ocorre para estimular o crescimento do miométrio uterino de forma contínua, preparando-o para o parto. Também estimula o crescimento das glândulas mamárias; causa relaxamento dos ligamentos pélvicos, sínfise púbica e ossos pélvicos (para melhor acomodar o útero em expansão); além de estimular a produção de progesterona.
Durante a fase de crescimento, a quantidade de estrógeno produzida no organismo influencia o desenvolvimento dos ossos e a textura da pele, afetando a aparência da mulher. Nas mulheres com maior índice de estrógenos, os rostos tendem a ter traços femininos “clássicos” — como olhos e lábios grandes e narizes e maxilares menores. Por isso, as mulheres com alto nível do hormônio estrogênio normalmente são consideradas mais bonitas.
O que você precisa saber sobre o estrogênio?

Funções do Estrogênio

O estrogênio induz as células de muitos locais do organismo a se proliferarem. A musculatura lisa do útero, por exemplo, pode aumentar a ponto de o órgão triplicar de tamanho.
O estrogênio também provoca o aumento da vagina e o desenvolvimento dos lábios que a circundam e faz o púbis se cobrir de pelos.
O estrogênio ajuda os quadris a se alargarem e o estreito pélvico a assumir a forma ovóide; ao invés de afunilada como no homem.
Esse hormônio provoca o desenvolvimento das mamas e a proliferação de seus elementos glandulares, além de levar o tecido adiposo a concentrar-se em áreas como quadris e coxas, dando-lhes a sua forma arredondada típica.
Em geral, pode-se dizer que as características que distinguem a mulher do homem são devidas ao estrogênio.
O que você precisa saber sobre o estrogênio?

O que a falta de estrogênio causa no corpo das mulheres?

O estrogênio é, sem dúvidas, um dos hormônios mais importantes do corpo feminino. Durante um período de baixa, muitos sintomas indesejáveis podem aparecer. Não significa que todas as mulheres terão esses incômodos, mas é importante saber para encontrar uma alternativa para tratar esses problemas.
  • Aumento do peso: Com a dimininuição da produção do estrogênio pelo ovário, essa tarefa acaba sendo feita pelas células de gordura. O nosso corpo, então, passa a entender que é preciso fabricar mais células de gordura para manter os níveis hormonais em equilíbrio. Isso acaba refletindo nos números apontados na balança. O ganho de peso, porém, não é uma regra.
  • Alterações no humor: Sabemos que o desequilíbrio hormonal também afeta o humor e o comportamento das mulheres. A TPM está aí para provar isso todos os meses. Ocorre que uma queda nessa produção acaba modificando também os níveis de neurotransmissores importantes como a dopamina, a serotonina e a noradrenalina.
  • Dor e secura vaginal: Com a queda do estrogênio, a mucosa que reveste a vagina fica mais fina, menos elástica e mais ressecada. Durante a relação sexual essa mucosa pode ser lesionada, o que causa dor, vermelhidão e também irritação. A lubrificação típica da região vaginal acaba diminuindo muito por conta da falta de estrogênio. Esse é um dos motivos pelos quais o apetite sexual da mulher também é reduzido quando há menos desse hormônio.
  • Infecções no sistema urinário: Existem alguns problemas típicos do trato urinário que costumam aparecer com maior frequência quando a mulher apresenta deficiência de estrogênio. São eles:
    • Cistites: inflamações que ocorrem por conta da atrofia do tecido que reveste tanto a bexiga quanto a uretra.
    • Urgência urinária: é uma vontade urgente e constante de urinar ainda que a quantidade de excretas seja mínima. Muitas vezes não dá tempo de chegar ao banheiro.
    • Incontinência urinária: ocorre quando não conseguimos manter o controle sobre os músculos do assoalho pélvico e sobre a bexiga. Pode acontecer por causa de um simples espirro ou por tentar erguer algum peso.
  • Queda e ressecamento dos fios: O estrogênio é tudo para o cabelo: ajuda a manter sua força e vivacidade, mantendo-o os fios mais saudáveis. A falta dele, é claro, proporciona justamente o oposto: queda dos cabelos e fios sem vida e sem brilho. É preciso investir pesado em alguns cuidados como hidratação, nutrição e queratinização.
  • Ondas de calor: Também provocados pela queda do estrogênio, os famosos fogachos, muito comuns em mulheres que entraram na menopausa, podem ser um problema ainda maior se você mora em lugares muito quentes ou secos. Cerca de 75% das mulheres apresentam esse sintoma e ao menos 80% delas permanecerão com ele por um período que dura mais de 1 ano.
  • Insônia: Os problemas para ter uma noite tranquila também estão presentes aqui. Na verdade, a insônia é uma consequência das ondas de calor. É comum, durante a menopausa, que a mulher apresente sudorese noturna justamente por conta dos fogachos. Manter um bom sono nesses casos é bem mais difícil, mas nada que um banho frio não ajude a amenizar.
  • Doenças cardiovasculares: Como a deficiência de estrogênio afeta a distribuição de gordura corporal, ela também mexe com os níveis de triglicerídeos. Essas taxas acabam subindo, o que aumenta as chances de um ataque cardíaco (infarto) ou mesmo de um AVC (acidente vascular cerebral).
  • Cansaço: Um pequeno esforço pode deixar a mulher que apresenta baixos níveis de estrogênio extremamente cansada. Ainda que ela tenha acabado de ter um sono relaxante, o cansaço pode aparecer se uma atividade um pouco mais movimentada tiver de ser realizada.
  • Rugas e linhas de expressão: O estrogênio também ajuda a melhorar a textura da nossa pele e interfere na distribuição e proteínas como o colágeno (responsável pela elasticidade e consistência da pele). A queda desse hormônio facilita a formação de linhas de expressão e rugas, além de deixar a pele ressecada. Por conta disso, manter uma boa hidratação ingerindo líquidos é essencial.
  • Modificação na deposição de gordura: É normal que a gordura na mulher seja acumulada em locais como glúteo, quadris, coxas e mamas. Essa forma de deposição ajuda a dar as formas próprias do corpo feminino e quem faz isso é o estrogênio. Portanto, se há a deficiência dessa substância a distribuição de tecido adiposo será muito parecida com a que encontramos no homem. A gordura passa a ir para locais como abdômen, costas e braços.
  • Problemas articulares: Outra situação muito comum em mulheres durante o período da menopausa é o desenvolvimento de problemas nas articulações. Elas costumam ficar mais rígidas, pois a produção do líquido lubrificante que existe na região diminui. Isso aumenta o desgaste ósseo e também de partes moles como os meniscos, amortecedores presentes no joelho. As consequências disso são dores e inflamações no local.
O que você precisa saber sobre o estrogênio?

E a reposição de estrogênio?

Há uma fase da vida que a reposição de estrogênio faz-se necessária. No entanto, muitas mulheres não sabem quais são os efeitos que os procedimentos voltados para a reposição hormonal podem oferecer; assim, se aventuram sem saber as procedências e possíveis efeitos colaterais no futuro.
A deficiência de estrogênio foi considerada por muitos uma condição fisiológica, e não patológica, provavelmente porque a insuficiência ovariana é geneticamente programada. Entretanto com o aumento da expectativa de vida das mulheres, o impacto negativo da deficiência de estrogênio tornou-se mais significativo.
Embora essa deficiência seja tratável, menos de 20% das mulheres pós menopáusicas recebem estrogênio. Além disso, a terapia de reposição hormonal (TRH) na menopausa não é totalmente isenta de riscos — ela tem sido utilizada com o objetivo de aliviar sintomas e de agir preventivamente e assim reduzir o aparecimento de doenças, como as cardiovasculares e a osteoporose.
A terapia de reposição hormonal (TRH) é recomendada para alivio dos sintomas vasomotores, tratamento da atrofia vaginal e prevenção da osteoporose. Apesar das conhecidas vantagens, aproximadamente 70% das mulheres cessam o tratamento após o primeiro ano. Uma das principais causas da baixa aderência a TRH é o sangramento irregular, outras razões incluem mastalgia, náusea, cefaleia, ganho de peso e retenção hídrica. Além disso, muitas tem medo de câncer.
A decisão de uma mulher em usar terapia de reposição hormonal é um processo complexo determinado pela recomendação de seu médico, pelo risco individual de doenças, pelas atitudes frente a menopausa e TRH, valores, sintomas menopausais e ao meio ao qual a mulher pertence.
Diante do pouco conhecimento de muitas pessoas, e da maior oferta de procedimentos, devemos ressaltar que fazer a reposição hormonal natural sempre é a melhor escolha, por isso, atente para as recomendações e avalie se são cabíveis diante do seu caso, ou não.
As terapias hormonais podem ser feitas por meio de medicamentos que contenham hormônios femininos, que possuem a propriedade de substituir aqueles que estão em níveis mais baixos no corpo, principalmente após a menopausa.
https://belezaesaude.com

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Benefícios da Vitamina D


Você sabe a importância da vitamina d?
A vitamina D é produzida pelo próprio organismo, com o auxilio da luz solar e interage com hormônios que regulam a quantidade de cálcio no organismo. É produzida a partir do colesterol, porém pode ser encontrada em alimentos como fígado, gema de ovos e óleos de peixe. Quando uma pessoa se expõe ao sol, os raios ultravioletas são absorvidos e atuam com o colesterol, transformando-o num precursor da vitamina D. Horas depois o fígado e os rins convertem esse precursor em vitamina D.
A vitamina D atua como um hormônio que mantém as concentrações de cálcio e fósforo no sangue através do aumento ou diminuição da absorção desses minerais no intestino delgado. Ela regula o metabolismo ósseo e a deposição de cálcio nos ossos. A vitamina D também é muito importante para crianças, gestantes e mães que amamentam, por favorecer o crescimento e permitir a fixação de cálcio nos ossos e dentes.

Porque a vitamina D é tão fundamental?

A vitamina D tem sido destaque em vários estudos científicos, devido ao seu poder para combater a pressão arterial, controlar o peso e afastar o risco de tumores. Ela é essencial para o tratamento da osteoporose, pois promove a absorção de cálcio da dieta, nutriente necessário para o crescimento normal dos ossos. Algumas pesquisas sugerem que a vitamina também ajuda a combater doenças autoimunes, infecções e câncer.
Além de fortalecer nosso sistema autoimune, atua na secreção de insulina. Alguns estudos sugerem que a deficiência da vitamina pode levar ao prejuízo na secreção deste hormônio, o que poderia causar intolerância à glicose. A vitamina D é produzida na pele, mas é ativada pelos rins. Doentes com insuficiência renal necessitam de suplementos dessa vitamina.

O que a falta da vitamina D causa?

A falta da vitamina D no organismo pode ser identificada em testes laboratoriais, pela análise do cálcio na urina (se houver pouco, é um sinal de alerta) ou por exames de sangue. Não costumam se manifestar sintomas em adultos, exceto por uma eventual dorcansaço ou falta de equilíbrio. Já as crianças com deficiência de vitamina D podem desenvolver raquitismo — doença que inclui fraqueza e perda óssea.

Onde a vitamina D pode ser encontrada?

 Ela pode ser encontrada no leite, no salmão, sardinha, óleo de fígado de peixe, cogumelo, ovos e alguns cereais que são fortificados com essa vitamina. Mas a principal fonte dessa vitamina vem do sol.

O banho de sol

vitamina D
O corpo fabrica vitamina D graças ao contato com os raios solares. O ideal é se expor diariamente em média 15 minutos. Passe o filtro solar no rosto e deixe pernas e braços livres, já que o creme limita a absorção da luz. No entanto, pessoas mais claras, que necessitam de proteção solar absoluta, obtêm a vitamina mais facilmente, se expondo menos de 15 minutos três vezes por semana.
Existe o risco de deficiência de vitamina D durante o inverno, pois os raios solares nesta época não permitem a produção adequada de vitamina D. Também devido ao fato que a necessidade individual pode variar consideravelmente, dependendo de vários fatores. Quando ocorre a deficiência, existem complementos em forma de gotas (Aderogil). É muito importante consultar um profissional sobre a quantidade de vitamina D que você precisa.
https://belezaesaude.com

Água de ameixa: Benefícios e como fazer

Água e ameixa. Está aí uma mistura que só soma para a sua saúde. A água é a melhor bebida para manter uma vida saudável e a ameixa tem propriedades incomparáveis para o seu organismo. Veja os benefícios dessa combinação e como fazer.
Antes de mais nada, você precisa saber que manter o corpo em forma é uma ação que requer múltiplas tarefas. Não basta só comer bem, mas também se exercitar e fugir de estresse, ansiedade e depressão. Portanto, a mente também é uma grande aliada da vida longa. Cuide do seu templo como um todo e seja feliz!
Fácil de fazer, a água de ameixa promove inúmeros benefícios ao organismo

Benefícios da ameixa

A ameixa é rica em magnésio. Essa substância é boa para os ossos, artérias, pressão alta e também combate os radicais livres, que provocam o envelhecimento precoce e doenças. Além disso, a fruta contém potássio, que regula o metabolismo do corpo e atua também contra os incômodos contemporâneos, como estresse.
Vitaminas A, B, C e K fazem parte da composição da ameixa. Esse quarteto promete proteger os olhos, a pele, unhas, cabelos, infecções, ossos, circulação sanguínea e melhora a absorção do ferro no organismo.
A ameixa também contém quantidade considerável de fósforo e zinco. O primeiro elemento é importantíssimo para que o cérebro funcione bem durante a idade avançada, cuida dos hormônios e previne o cansaço. Já o segundo, beneficia as pessoas querem ter filhos e previne doenças circulatórias.
Por fim, essa fruta é rica em antioxidantes. Chamados de catequina e antiocina, eles agem na renovação e no combate à oxidação celular.

Benefícios da água

Parece demais escrever sobre os benefícios da água? Até que não, pois muitas pessoas acumulam doenças por conta da pouca ingestão desse precioso líquido. Para você ter uma ideia, os problemas são tantos que o indicado é que cada pessoa beba no mínimo dois litros de água por dia.
Quem não beba água suficiente pode desenvolver o envelhecimento precoce. Isso acontece, pois, as células vão morrendo se não ficarem bem nutridas. Outro resultado direto da falta de água no organismo é o aumento de peso, você sabia?
Então, se você não quer ver o ponteiro da balança subir, beba água sempre. Além disso, doenças de coração, colesterol ruim alto, prisão de ventre, doenças estomacais, problemas respiratórios, eczemas, reumatismo, infecções urinárias, fadiga e problemas renais sérios podem aparecer.

Como fazer água de ameixa

Se ambos os ingredientes já são poderosos sozinhos para uma vida mais saudável, imagina se unirmos os dois? Além de ser muito saborosa, a água de ameixa pode te ajudar em diversas áreas da sua vida. Veja a receita simples, prática e rápida:

Ingredientes da água com ameixa

  • 4 unidades de ameixas secas;
  • 200 ml de água.

Modo de fazer

Em um copo limpo, coloque as ameixas sem caroço no copo cheio de água. Leve à geladeira e deixe por 12 horas.
Tome essa água sempre em jejum, logo cedo, antes da primeira refeição. Por isso, faça sempre na noite anterior para tomar no outro dia logo cedo.
Se você quiser em grande quantidade, use 20 ameixas secas em um litro de água e todos os dias tome um copo de 200 ml. Vai render para a semana inteira.
https://www.beneficiosnaturais.com.br

Misturar iogurte com granola engorda ou emagrece? Confira benefícios

A granola é um cereal cozido feito de aveia enrolada, nozes e frutas. Ela pode ser revestida com mel ou um xarope de açúcar. Há também aquelas que ganham acompanhamentos diversos como coco ralado, castanhas, arroz, trigo, milho e centeio. Ela cai bem com alimentos saudáveis, principalmente o iogurte. Mas será que essa mistura engorda ou emagrece?
O iogurte é quando a lactose se transforma em ácido láctico. Essa mudança é realizada por bactérias responsáveis pela fermentação. Sua maior característica é ser branco, espesso e ácido e, assim como a granola, também pode receber a adição de frutas e sabores diversos.

Granola com iogurte emagrece ou engorda?

Elimine qualquer dúvida sobre se a granola com iogurte engorda ou emagrece
Muita gente se questiona se a granola com iogurte engorda ou emagrece (Foto: depositphotos)
Ambos os alimentos são indicados para as pessoas que querem adotar um estilo de vida mais saudável. Eles podem ajudar no processo de emagrecimento desde que sejam utilizados as versões menos calóricas.
Por exemplo, um iogurte natural com granola é rico em fibras e gorduras saudáveis que vão ajudar na perda de peso. Porém, um iogurte de morango com pedaços da fruta adicionado de granola rica em açúcar e mais alguns pedaços de chocolate não vai auxiliar em nada a pessoa que quer emagrecer.
Portanto, a casadinha é ótima para saúde e, a depender das circunstâncias, também colabora para o emagrecimento consciente. Conheça outros benefícios desses alimentos.

Benefícios da granola

A granola é indicada para pessoas com doenças cardiovasculares, pois seus ácidos o ômega-3, lipídios insaturados, carboidratos e açúcares naturais reduzem o colesterol ruim. A granola de aveia é uma é fonte de ferro e, por conseguinte, previne a anemia.
Esse cereal também contém Vitamina C e Manganês. O primeiro é um antioxidante natural que estimula o sistema imunológico, o segundo previne o câncer.
As pessoas que querem evitar o envelhecimento precoce também podem usufruir dos benefícios da granola. É que ela contém selênio e zinco mantém a pele bonita, firme e longe das rugas.

Benefícios do iogurte

Segundo o blog do plano de saúde Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo, o iogurte natural contém proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas A, B1, B2, B3, B6, B12, C e D. Os minerais também estão presentes, como o potássio, fósforo, zinco, cálcio, ferro e magnésio.
O iogurte natural contém três tipos de bactérias: Lactobacillus bulgaricus, Streptococcus acidophilus e Streptococcus termophilus. Essas espécies de bacilos fazem muito bem à nossa saúde, pois regularizam o intestino e reforçam o nosso sistema imunológico.
Os iogurtes naturais e caseiros são mais saudáveis e podem ser feitos por qualquer pessoa. Se você quer emagrecer, ele é um aliado poderoso, mas mesmo se você não está de dieta, inclua-o no seu cardápio. Você não vai se arrepender.

Receita de iogurte natural caseiro

Ingredientes:

  • 2 litros de leite;
  • 1 potinho de iogurte integral com 180 gramas.

Modo de fazer:

Ferva o leite e retire a nata que se formou. Deixe-o esfriar e coloque o seu dedo para avaliar a temperatura ideal, pois ele precisa estar quente, mas não ao ponto de queimar seu dedo.
Ao atingir essa temperatura, despeje o copo de iogurte no leite e misture. Depois disso, feche o recipiente e envolva-a em panos. Coloque em um local quente, tipo o forno do fogão, de 8 a 10 horas. Depois desse tempo, avalie a consistência e guarde na geladeira.https://www.beneficiosnaturais.com.br